The Brazilian Construction resumed in recent years its important role in the revenues of development. After decades of low investment in infrastructure and in housing, the country rediscovered your rote of progress. This new scenario demonstrates that there are great challenges, the main one, in the trajectory of continued growth, is the productivity. This is the context, in which this research aimed at analyze the productivity of labor of civil construction in the housing sector of the city of Santa Maria (RS), as well as analyze which was the profile of employees more used in buildings. To meet the objectives, this research has reference data of the Syndicate of Construction of Santa Maria – RS between the years of 2009 and 2014. There was, in the period analyzed, advances in productivity induced by the very dynamic of growth and investment in training of the builders of the city. It was found a strong correlation between constructed area and labor used by construction companies. We also find an increase in stocks in 2012, followed by a high of built area in the months of 2013, bringing this year at the peak of the number of employees in construction in the series under study.

A construção brasileira retomou nos anos recentes o seu importante papel na receita do desenvolvimento. Após décadas de baixo investimento em infraestrutura e em habitação, o país reencontrou sua rota de progresso. Nesse novo cenário evidenciam-se grandes desafios, o principal deles, na trajetória de crescimento continuado, é o da produtividade. É neste contexto que se insere o presente trabalho, objetivando analisar a produtividade da mão-de-obra da construção civil no setor de habitação na cidade de Santa Maria (RS), bem como, analisar qual é o perfil de funcionários mais utilizados nas construções. Para atingir os objetivos esse trabalho tem referência os dados do Sindicato da Construção de Santa Maria-RS entre os anos de 2009 e 2014. Houve, no período analisado, avanços na produtividade induzidos pela própria dinâmica de crescimento e por investimentos em treinamento das construtoras da cidade. Verificou-se uma correlação forte entre área construída e mão-de-obra utilizada pelas construtoras. Constatou-se também um aumento dos estoques em 2012, seguido de uma alta da área construída nos meses de 2013, acarretando neste ano no pico do número de empregados na construção civil na série em estudo.