The real estate market in Brazil has access to other forms of funding, where real estate investors do not necessarily invest in projects directly but can do so through acquisition of real estate funds. Currently, this market has a value of approximately R $ 95 billion, equivalent to 1.4% of the Brazilian GDP in 2018. In developed markets such as the United States, this market is worth more than US $ 1 trillion, from the use of the Reits investment vehicle, equivalent to 4.9% of US GDP in the same year of analysis. In view of the above, the objective of this study was to evaluate the impact of macroeconomic indicators on the behavior of the negotiation value of the quotas of 13 real estate funds, with different strategies, from 2013 to 2018. This chosen period, from 2013 to 2018, should the amount of the effects have generated in the markets by variation of economic activity, inflation, and interest rates on the value of the quotas analyzed. As a result, the authors conclude that the funds suffer impacts of a different magnitude from one another, depending not only on their adopted strategy but also on their portfolio. From the investor's point of view, be it professional, qualified or even retail, it is fundamental to take into account the effects of the economic changes on the strategies of the real estate funds, thereby affecting the value of the shares acquired.

O mercado imobiliário no Brasil tem acesso a outras formas de funding, onde os investidores imobiliários não necessariamente investem em empreendimentos de forma direta, e sim, pode fazê-lo através de aquisição de cotas de fundos imobiliários. Atualmente, este mercado tem um valor de aproximadamente R$ 95 bilhões, o equivalente a 1,4% do PIB brasileiro, em 2018. Em mercados desenvolvidos como os Estados Unidos, este mercado chega a valer mais de US$ 1 trilhão, a partir da utilização do veículo de investimento Reits, o que equivale a 4,9% do PIB americano, no mesmo ano de análise. Diante do exposto, o objetivo deste trabalho foi avaliar o impacto de indicadores macroeconômicos no comportamento do valor de negociação das cotas, de 13 fundos imobiliários, com diferentes estratégias, no período de 2013 a 2018. Este período escolhido, de 2013 a 2018, se deve a quantidade dos efeitos gerados nos mercados por: variação da atividade econômica, da inflação, das taxas de juros sobre o valor das cotas dos fundos analisados. Como resultado, os autores concluem que os fundos sofrem impactos de magnitude diferente um do outro, dependendo não somente de sua estratégia adotada, mas também de seu portfólio. Do ponto de vista do investidor, seja ele profissional qualificado ou ainda, varejo, é fundamental voltar atenção aos efeitos das mudanças econômicas sobre as estratégias dos fundos imobiliários afetando, com isto, o valor das cotas adquiridas.