O objetivo desse trabalho é analisar os padrões de segregação sócio-espacial no Aglomerado Urbano de Brasília. O estudo adota um quadro interpretativo que enfatiza o contexto socioeconômico e os resultados do processo de urbanização, postos sob a forma de relações entre padrões de distribuição espacial e de urbanização dos grupos sociais. O estudo realizou observações do comportamento da diferenciação social por meio das categorias sócio-ocupacionais para o ano 2000. A metodologia adotada foi a análise da estrutura social, por meio de uma tipologia sócio-espacial, construída com o auxílio da análise fatorial e de conglomerados. Como resultado observou-se um gradiente social que descende do centro para a periferia, marcado pela concentração de grupos dirigentes nas áreas centrais e de grupos populares nas periféricas. Destacou-se também a forte presença dos setores médios em praticamente todos os tipos sócio-espaciais. Os resultados indicam que a organização sócio-espacial do Aglomerado Urbano é regulada pela posição das pessoas na hierarquia social e pelo setor de emprego, o que determina também os graus de acessibilidade a serviços e equipamentos públicos.


SEGREGATION AND REPRODUCTION OF THE SOCIAL AND SPATIAL INEQUALITIES IN THE URBAN CONGLOMERATE OF BRASILIA

The main goal of this work is to analyse the urban patttern of the social and spatial inequalities in the Urban Conglomerate of Brasília. The work adopted an interpretative framework that emphasized the socioeconomic context and the results of the process were viewed under the perspective of their relationships between spatial distribution patterns and the urbanization of social groups. The work was to explore the spatial distribution of social differentiation with socio-occupational categories for the 2000’s. The adopted metodology was the social and spacial analisys, built with aid of factorial and cluster analyses. As results,the urban sprawl revealed revealed itself to be structured as a social gradient – reaching out from the inner core toward the periphery - marked by the concentration of the ruling groups in the inner areas and the popular groups in the peripheral areas. The results detected a strong presence of the mean sectors in almost all types of social spaces, which indicates an apparent rupture in the causal system: income and educational levels and a relative slant of segregation. Nevertheless, the results indicate that the social and spatial organization of the urban sprawl is regulated, mostly, by the rank in the social hierarchy, which in turn determines the degree of accessibility to services and public utilities.