Desde a década de 40, o Brasil tem passado por mudanças que o transformaram em um país predominantemente urbano. Um crescimento exponencial de sua população e uma rápida migração para áreas urbanas tem criado grande demanda habitacional e um número crescente de famílias vivendo em moradias sem condições mínimas de habitabilidade. Como resultado, o rápido crescimento das grandes e médias cidades trouxe problemas urbanos, com a população de baixa renda se aglomerando nas periferias em condições inadequadas, ocupando áreas de risco, geralmente terrenos invadidos, contribuindo assim para a deterioração urbana e ambiental das áreas metropolitanas. Este artigo confrontará as necessidades habitacionais da população de baixa renda com sua capacidade de pagar o preço da menor habitação adequada ofertada pelo mercado formal. O estudo começará com a discussão da alocação de uma parcela do orçamento familiar das famílias de baixa renda em habitação e as opções existentes para aquisição de uma moradia adequada no mercado formal utilizando os programas de financiamento habitacional ofertados no Brasil. Considerando a demanda pela aquisição de moradias adequadas e os programas e recursos disponíveis voltados ao financiamento habitacional da população de baixa renda, este artigo resultará na necessidade de aumento no volume de recursos para o financiamento e o subsídio da população de baixa renda na aquisição de moradias adequadas no mercado formal.


The mismatch between the capacity of low-income families to purchase an adequate housing unit in the formal market and the available housing finance programs offered in Brazil

Since the 40’s, Brazil went through some tranformations and became a predominant urban country. An exponential population growth added to a quick migration to urban areas has created a large demand for housing, while the number of families living in substandard conditions has increased. As a result, the fast growth of large and medium cities created severe urban problems. The low-income population started to agglomerate themselves in substandard structures in the outskirts of cities, occupying areas of risk, usually invaded properties, contributing for urban and environmental deterioration of those metropolitan areas. This paper will compare the housing necessities of the Brazilian low-income families with their capacity to pay the lowest price for an apropriate housing unit offered by the formal market. The analysis will start discussing the possible allocation of a share of the low-income family budget to housing expenses. The available options for purchasing an adequate housing unit in the formal market will also be analised taking in consideration the housing finance programs existing in Brazil. Considering the demand for purchasing housing units and the availability of programs and resources focused on the financing of low-income housing, this paper will point to the necessity of increasing financial resources in order to allow those families to have a property.