The major part of world population is integrated to the capitalism economic system, either by macro- economic mechanisms, local or global monetary politics or by international agreements, dedicated to integrate commerce, technology and environmental issues. Great part of this population lives in cities. There are 180 cities with more than a million inhabitants. There will be 550 around the year of 2015, counting with an increment of more than one million residents a day. The global economy is modeling the organization and development of cities. Mega cities all around the world maintain a network of relevance -communication and information- oriented to business but not related to the territory, as stimulating global investments. What can be reviewed in public strategies?

This paper characterizes the evolution of the concept of sustainability in the international agenda and also in the Brazilian one. How the sustainable development has been taken by urban planning and its political-administrative practices. It has been briefly taken three relevant experiences in urban planning in Brazil. Four alternatives are being proposed to manage cities infra-structure treated here as the building environment. The study is based in a research of the current bibliography, reports, agreement papers and group discussions at the Brazilian Federal University, Engineering Post-Graduation Program, Energy Planning Program- PPE-COPPE/UFRJ in 2007.

Grande parte da população mundial está direta ou indiretamente integrada ao capitalismo através de mecanismos macro-econômicos de politicas monetárias, da dívida e do preço das matérias primas. A esse contexto,acresce, que a maioria dessa população vive em cidades. São 180 cidades com mais de um milhão de habitantes evoluindo para 550 em 2015, com crescimento diário de um milhão de novos moradores. A re produção do espaço globalizado, que se baseia em centros urbanos conectados em rede, transpõe a noção de territorialidade/nacionalidade e orienta investimentos financeiros em nível internacional, desvinculando a dinâmica de crescimento das mega cidades do desenvolvimento local.

Esse trabalho parte da caracterização da evolução do conceito de sustentabilidade na agenda internacional e Brasileira e como o desenvolvimento sustentável se incorporou às práticas político-administrativas do planejamento urbano, abordando algumas experiências bem sucedidas no âmbito das políticas públicas no Brasil. Os resultados desse trabalho se devem a um estudo da bibliografia corrente, relatórios e documentos de trabalho de organismos internacionais e grupos de discussão realizados sob os auspícios do Programa de Planejamento Energético da COPPE/UFRJ, 2007