In the history of the city of São Paulo the configuration of the ways destined to the regional linking had always possessed basic paper in the orientation of the urbanization process, especially of high standard. The appropriation of the ground occurred through isolated investments effected by the private initiative, result of the real estate dynamics guided by the road system. The quarters directed toward the elite had been situated from the end of century XIX in the southwest of the Center, good structuralized, that had followed urban orientation and that they withheld good road joint. The quarters of high standard, with the growth of the city, had received the biggest real estate investments and from road infrastructure, initially tending to shelter the horizontal quarters, of inspiration city garden, and in the sequence to a vertical sped up guided throughout the main corridors of traffic and its surroundings. It was established thus, in this direction, the main vector of real estate investments of São Paulo. The methodology used for the analysis of this question is defined by the crossing of maps and tables of the initiatives of the real estate capital, in located areas the southwest of the city of São Paulo, with the public road improvements in its process of urbanization, workers of this recent urban dynamics. The main conclusion is that the process generated for this dynamics took to a continuous occupation in the direction southwestern, dislocating continuously the investments, of the initial areas in stability process and until stagnation, for the neighbors, in valuation. This dynamics in course generates an urban expansion, characterized for the displacement of the nucleus of high standard in the southwestern direction, guided for the road investments.

Na história da cidade de São Paulo a configuração das vias destinadas às ligações regionais sempre possuíram papel fundamental na orientação do processo de urbanização, especialmente de alto padrão. A apropriação do solo ocorreu através de investimentos isolados efetuados pela iniciativa privada, resultado da dinâmica imobiliária orientada pelo sistema viário. Os bairros voltados para a elite localizaram-se a partir do final do século XIX a sudoeste do Centro, bem estruturados, que seguiram orientação urbanística e que detinham boa articulação viária. Os bairros de alto padrão, com o crescimento da cidade, receberam os maiores investimentos imobiliários e de infra-estrutura viária, tendendo inicialmente a abrigar os bairros horizontais, de inspiração cidade jardim, e na seqüencia a uma verticalização acelerada orientada ao longo dos principais corredores de tráfego e seu entorno. Estabeleceu-se assim, nesta direção, o principal vetor de investimentos imobiliários de São Paulo.

A metodologia empregada para a análise desta questão é definida pelo cruzamento de mapas e tabelas das iniciativas do capital imobiliário, em áreas localizadas a sudoeste da cidade de São Paulo, com os melhoramentos viários públicos em seu processo de urbanização, formadores desta dinâmica urbana recente. A principal conclusão é de que o processo gerado por esta dinâmica levou a uma contínua ocupação na direção Oeste/Sudoeste, deslocando continuamente os investimentos, das áreas iniciais em processo de estabilidade e até estagnação, para as vizinhas, em valorização. Esta dinâmica em curso gera uma expansão urbana, caracterizada pelo deslocamento do núcleo de alto padrão no sentido sudoeste, orientado pelos investimentos viários.