This article discusses the performance presented by the Brazilian real estate investment funds in the last six years. The objective is to recognize if there is adherence to international markets in the stock markets also exists between Brazilian real estate investment funds and others regimes from United States, France, Germany and United Kingdom. Therefore, this article aims to analyze the investment in shares of investment funds as an alternative to foreign investors, showing the structures of investment, risks, advantages and disadvantages and the performance of the last six years. As conclusion of the article, we found that FII investment portfolio showed a return that does not follow the trends of international market, but performance was adherent to the Real Estate sector in Brazil, with the increase in prices of shares of FIIs followed the rise in house prices occurred between the years 2007 and 2010. The lower correlation between FIIs and others regimes shows that the FII does not have critical mass in volume capitalized financial resources to attract international investors. This correlation can be seen in the case of other countries in the analysis, which all show an upward movement in the years before the crisis of "sub prime", and between the years 2007 and 2009 have primarily a movement of loss and soon then a recovery trend, confirming the correlation between them. Globalization and strong foreign investment that Brazil has been receiving in recent years, if the financial mechanism to earn a large enough volume, you must present an increasing correlation with the rest of the schemes in the coming years.

Este artigo discute o desempenho apresentado pelos Fundos de investimento imobiliário nos últimos 6 anos. O objetivo é reconhecer se a aderência que se verifica nos mercados Internacionais das Bolsas de Valores também existe entre Fundos de investimento imobiliário brasileiro e nos sistemas semelhantes existentes nos Estados Unidos, na França, na Alemanha e no Reino Unido. Desta forma, almeja-se neste artigo analisar o investimento em cotas de fundos de investimento imobiliário como alternativa para investidores estrangeiros, demonstrando as estruturas de investimento, os riscos, suas vantagens e desvantagens e o desempenho dos últimos 6 anos. Como conclusão do artigo, foi possível verificar que a carteira de investimento dos FIIs apresentou uma rentabilidade que não segue as tendências de mercado internacional, mas apresentou um desempenho aderente ao do setor do Real Estate brasileiro, com o aumento dos preços das cotas dos FIIs seguiram a elevação de preços dos imóveis verificada entre o ano de 2007 e 2010. A baixa correlação encontrada entre os FIIs e os outros sistemas demonstra que o FII brasileiro ainda não possui massa crítica em volume financeiro capitalizado para atrair recursos de investidores internacionais. Esta correlação é possível ser vista no caso dos outros países da análise, onde todos apresentam um movimento de alta nos anos que antecedem a crise do “sub prime”, e entre os anos de 2007 e 2009 apresentam primeiramente um movimento de perda e logo em seguida um movimento de recuperação, ratificando a correlação encontrada entre eles. A globalização e o forte investimento externo que o Brasil vem recebendo nos últimos anos, caso o mecanismo ganhe um volume financeiro suficientemente grande, deve apresentar uma correlação crescente com o restante dos sistemas nos próximos anos.