Up to the Industrial Revolution spaces were multiuse, activities were linked, men dwelt, worked and amused within a small radius. With industrialization, new functional activities arose, setting off the philosophical conception of modern town planning, defending zoning in four functions: dwelling, work, leisure and circulation. The expansion to outskirts became a reality and the urban cores have become centers of isolated functions, communities rotted in parts and segregation began. Rogers (2000) proposes the "compact city", dense and diversified where social and economic activities are superposed, allowing communities integration with the neighborhood, which evolves around multi-function centers, connected by public transport. The intention is the recovery of ancient life quality, to greater sustainability of cities. In this sense, this text firstly exposes ideas of scholar’s behalf of the necessity of functional diversity inside districts that composes cities and its buildings. Then, discusses the case AlphaVille Industrial and Business Center settled at Barueri – SP, on Castelo Branco highway borders. Its entrepreneurs initially offered industrial lots for São Paulo’s businessmen and attentive to real estate demands, kept performing changes of direction, transforming the undertaking in business/commercial, adding to it also theresidential wing. With the achieved success, others enterprises emerged in Brazil and the philosophy of the initiative turned into AlphaVille’s concept of dwelling integrating four essential aspects guide-lines to projects design: the single-family component; leisure; the business area; and education. Comments are made respect to diversity of uses embedded in some master plans, detaching aspects inside Londrina’s Land Use and Occupation legislation. Finally special reference is made about the existent consciousness that is necessary the mixture of persons, activities and uses in order to restore cities dynamism and heath.

Até a Revolução Industrial os espaços eram plurifuncionais, as atividades eram interligadas, o homem habitava, trabalhava, e se divertia dentro de um pequeno raio. Com a industrialização, novas atividades funcionais surgiram deflagrando a concepção filosófica do urbanismo moderno, pregando a zonificação em quatro funções urbanísticas: habitação, trabalho, lazer e circulação. A expansão para a periferia tornou-se uma realidade e os núcleos urbanos passaram a ser centros de funções isoladas, as comunidades se decompuseram em partes e a segregação se iniciou. Rogers (2000) propõe a "cidade compacta", densa e diversificada onde as atividades sociais e econômicas se superpõem, permitindo a integração das comunidades com a vizinhança, que cresce ao redor de centros multifuncionais, conectados por transporte público. A intenção é a recuperação da qualidade de vida do passado, para maior sustentabilidade das cidades. Neste sentido, este texto primeiramente expõe idéias de estudiosos a favor da necessidade de diversidade funcional em bairros que compõe as cidades e seus edifícios. Em seguida aborda o caso do Centro Industrial e Empresarial AlphaVille implantado em Barueri – SP, às margens da rodovia Castelo Branco. Seus empreendedores ofertaram inicialmente lotes industriais para empresários de São Paulo e atentos às demandas do mercado, foram realizando mudanças de rumo, transformando o empreendimento em empresarial/comercial, agregando a ele também o braço residencial. Dado o sucesso alcançado, outros empreendimentos surgiram no Brasil e a filosofia de implantação dos residenciais acabou se transformando no conceito AlphaVille de morar integrando quatro aspectos essenciais que passaram a orientar a concepção dos projetos: o componente unifamiliar; o lazer; a área empresarial; e a educação. Comenta-se sobre a diversidade de usos incorporada em alguns planos diretores, citando-se aspectos da Lei de Uso e Ocupação do Solo de Londrina–PR. Finalmente salienta-se a existência de uma consciência de que é necessária a mescla de pessoas, de atividades e usos, para a recuperação do dinamismo e saúde das cidades.