The program Minha Casa, Minha Vida has served 3 565 municipalities in reducing the country's housing deficit of 7.2 to 5.5 million units. The first phase by 2010 hired 1,005,128 households, 41.6% have already been delivered. The lowest income group, R$ 1,600.00 to R$ 5,000.00, has high ceiling from R$ 52,000 to R$ 65,000 per unit. In the second step, the goal of two million homes in 2011 was attended by 457 thousand units already delivered 335,000, 104,000 for low income families. In 2012, over 496,000 units will be 57% for low income. In the first quarter of this year, investment in the program Minha Casa, Minha Vida of R$ 6.2 billion, accounted for 39% of total investments of the Union. In 2011 the resources of savings banks provided R$ 79.9 billion and FGTS resources R$ 34.2 billion, accounting for 95% of funding for low-income housing. In 2011 the balance of savings accounts grew only 10%, from R$ 302 billion to R$ 332 billion. It is expected in three years there is no more resource available from the household saving. The Letters of Credit Real Estate (LCIs) and Real Estate Receivables Certificates (CRIs) emerge as alternative to circumvent this impending shortage. Between December 2010 and 2011 the stock of LCIs rose from R$ 29.2 billion to R$ 46.8 billion and the stock of CRI of R$ 18.9 billion to R$ 27.7 billion.

O estudo objetiva a indicação de fonte de recursos para o programa Minha Casa, Minha Vida, que já atendeu 3.565 municípios. A metodologia consiste em pesquisa junto aos órgãos de fomento. A primeira fase programa Minha Casa, Minha Vida, até 2010, contratou 1.005.128 moradias, 41,6% já entregues. Na segunda etapa, com a elevação do teto de investimento da menor faixa de renda (R$ 1.600,00 a R$ 5.000,00), de R$ 52 mil para R$ 65 mil por unidade, a meta de dois milhões de moradias foi atendida por 457 mil unidades em 2011, 335 mil já entregues, 104 mil para famílias de baixa renda. Em 2012 serão mais 496 mil unidades, 57% para famílias de baixa renda. No primeiro trimestre deste ano, 39% do total do investimento da União, de R$ 6,2 bilhões, destinaram-se ao programa Minha Casa, Minha Vida. Em 2011 os recursos de cadernetas de poupança proporcionaram R$ 79,9 bilhões e os recursos do FGTS R$ 34,2 bilhões, respondendo por 95% do funding imobiliário para baixa renda. Em 2011 o saldo das cadernetas de poupança cresceu apenas 10%, de R$ 302 bilhões para R$ 332 bilhões, com a expectativa de em três anos não mais haver disponibilidade de recursos provenientes da poupança das famílias. As aplicações em Letras de Credito Imobiliário (LCIs) e em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) têm crescido significativamente. Entre dezembro de 2010 e 2011 o estoque de LCIs passou de R$ 29,2 bilhões para R$ 46,8 bilhões e o estoque de CRIs de R$ 18,9 bilhões para R$ 27,7 bilhões. Concluímos que, mantida a atual tendência, as Letras de Credito Imobiliário (LCIs) e os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) despontam como fontes alternativas para contornar o iminente risco de escassez de recursos para habitações de interesse social.