In order to assess the performance of any housing company, it is necessary to put in perspective the development cycle of projects they invest. Within the land acquisition until the transfer of all homebuyer’s receivables for financial institutions, the usual time is 36-48 months, which represents a 3-4 years cycle for each project. To observe the behavior of this long cycle in a housing company we can analyze the data of public companies listed on the BOVESPA. Currently these companies that went public between 2006 and 2007, are delivering the second vintage of projects in a reality of unprecedented availabilities of funds and capital in recent decades.

Even in these favorable conditions, the results reported in their financial were inconsistent indicating that profitability in many companies remained below the benchmark interest rate. This paper explores the differences between a theoretical company based on a prototype project and the volume of production observed in the market between 2009 and 2012 according to a compilation of publicly traded housing companies’ results in order to expose its peculiarities.

Para avaliar o desempenho de qualquer empresa de produção habitacional, é inevitável levar em consideração a duração do ciclo de desenvolvimento dos projetos que estas investem. Entre a compra de um terreno até o efetivo repasse das carteiras de recebíveis de clientes para as instituições financeiras o tempo usual é de 36 a 48 meses, o que equivale a um ciclo de 3 a 4 anos para um projeto. Para observar o comportamento deste longo ciclo no resultado de uma empresa de produção habitacional é possível analisar os dados das empresas públicas de produção habitacional listadas na BOVESPA. Atualmente essas empresas, que se tornaram públicas entre 2006 e 2007, estão terminando o segundo ciclo de projetos em uma realidade de financiamento abundante e capacidade de investimentos inéditas nas últimas décadas.

Mesmo nessas condições favoráveis, os resultados reportados em seus balanços se mostraram inconstantes evidenciando que a rentabilidade no caso de muitas empresas se manteve abaixo da taxa básica de juros. Este artigo explora as diferenças entre uma empresa protótipo e a realidade observada no mercado entre 2009 e 2012 a partir da compilação dos resultados das empresas de produção habitacional de capital aberto demonstrando o viés na sua análise.