Construction companies in Brazil went through a growing period in the last decades, as a consequence of multiple factors such as government and private incentives, sportive events and also the middle class population increase.
This positive market allows the insertion of new firms in the sector, turning into a high competitive environment. In this new scenario, the construction companies have the need to present a better performance in order to obtain satisfactory results.

However, the recent retraction of the country economy generates an environment of uncertainty, which pressures even more the construction companies to search for strategic adjustments that could face the possible market opportunities changes.
Strategic planning determines the company ́s behavior in a competitive market and adaptation of the company ́s resources towards the selected market opportunities

However, one characteristic of the construction sector in Brazil that still prevails is the low emphasis on planning and management, which denotes the necessity to improve the strategies plans and applymanagement tools in construction companies’ organizations.
The objective of this paper is to debate the main aspects of strategic planning inside the construction sector, as well as present the result of a research with middle size contractors in Brazil and compare American contractors.

The study results indicate that a part of the Brazilian Construction companies surveyed declare they do not have a strategic planning system which means the lack of strategic guidelines for the necessary decisions for the company to face future variables and obtain satisfactory results. It also indicates that all the American companies that participated in the research have a strategic plan and that there is a greater knowledge of tools and process to consolidate the plan.

It also aims to compose an exploratory tool for the doctoral project of the author, and this way to promote the continuing of the research and further development of the topic.

As empresas de Construção Civil no Brasil passaram nos últimos anos por um momento de expansão do setor, conseqüência de múltiplos fatores como incentivos governamentais, investimentos privados, os eventos esportivos assim como o aumento da parcela da população considerada classe média no Brasil.
O mercado favorável provoca a entrada de novas empresas do setor, tornando-o altamente competitivo e desta forma, exigindo das empresas um desempenho cada vez melhor a fim de obterem resultados satisfatórios dentro deste contexto.

Contudo, a recente desaceleração do crescimento do país propicia um ambiente de incerteza, o que pressiona ainda mais as empresas a se estruturarem e a buscarem ajustes estratégicos frente a possíveis mudanças de oportunidades do mercado.
O planejamento estratégico é uma função essencial que deve existir dentro de toda empresa de qualquer setor. Este determina o comportamento empresarial em um ambiente competitivo e a adaptação de seus recursos às novas estratégias e demandas de mercado.

Porém, uma característica que ainda persiste no setor da construção civil no Brasil é a pouca valorização das áreas de gerenciamento e planejamento o que gera a grande necessidade de aperfeiçoamento das empresas construtoras em delinear suas estratégias e aplicar ferramentas e processos de gestão.
O objetivo deste artigo é apresentar dados a respeito do conhecimento e a adoção de planos estratégicos em empresas construtoras de médio porte no Brasil e fora deste através de uma pesquisa em forma de um levantamento de campo. Foi realizada também a comparação dos dados obtidos das empresas dos dois países, Brasil e EUA.

Os resultados apresentados evidenciam que uma parte das empresas brasileiras que participaram da pesquisa declara ainda não possuir um sistema de planejamento estratégico o que reforça a falta de um embasamento às diretrizes que norteiam as decisões necessárias de modo que a empresa enfrente variáveis e que obtenha resultados futuros satisfatórios. Indica também que todas as empresas americanas que participaram da pesquisa possuem um plano estratégico e que há um maior conhecimento das ferramentas e o processo para a consolidação deste.

O trabalho pretende ainda compor um subsídio exploratório para o projeto de doutoramento da autora, e desta forma dar continuidade à pesquisa e ao aprofundamento do tema em questão.