This article analyzes the investment quality indicators presented in an offer for shares of a Real Estate Investment Fund (FII) chosen as a case study from the stock exchange BM&FBOVESPA. Two different investment simulation models were developed in order to compare the results with the original marketing data presented to investors. The case study considers the indicators and the market scenario during the launch period of FII (June 2012). The criticisms raised throughout the analysis are justified by the current circumstances of the real estate business in Brazil, where often the funding necessary for creation of a property-based enterprise is attained with an FII investment. It is of concern that the information initially released to promote the attractiveness to investors is not always prepared on a realistic basis that can guarantee the minimum return considering the typical fluctuations of the property market, some of them easily predictable given the offer saturation.

O presente trabalho consiste na avaliação dos indicadores da qualidade de investimento apresentados na oferta de cotas de um Fundo de Investimento Imobiliário (FII) real do mercado. Para tanto, foram elaborados dois modelos de simulação do investimento com a finalidade de comparar os resultados com os dados originais de comercialização apresentados aos investidores. O estudo de caso leva em consideração os indicadores e o cenário do mercado no período de lançamento do FII (junho de 2012). As críticas aqui levantadas se justificam devido ao cenário dos negócios de real estate no Brasil, onde muitas vezes o funding necessário para realização de um empreendimento de base imobiliária é formatado com investimento de um FII e as informações inicialmente divulgadas para fomentar a atratividade nos investidores nem sempre são elaboradas sobre bases realistas que possam garantir a rentabilidade mínima projetada diante das futuras flutuações típicas do mercado imobiliário, algumas delas facilmente previsíveis diante do crescimento e da própria saturação causada pela alta na oferta de lançamentos do setor.