After Singapore, Vancouver and Shanghai have experienced strong growth and urban development, Dubai also witnessed faster urban development. Since the beginning of 2001, Dubai has been striving to reshape its urban form and join the list of major global cities. Its unique megaprojects are a driving force in local economic development. The high income derived from the sale of oil allows citizens to achieve high levels of income and quality of life. Dubai flexible policy plays a big role in attracting various migration flows. About 80-90% of the inhabitants of the United Arab Emirates are foreigners, which poses serious challenges for the country's political, economic, social and cultural sustainability. The objective of this work is to study the social effects that appear because of these real estate megaprojects, and the Palm Jumeirah Island as an example. A field study was needed due to the lack of similar previous research. Visiting and observing the island, daily, allowed a more accurate analysis of the situation that affects the local residents, leading us to understand how this migration process interferes in the local society. Evaluate how the integration of local population - immigrants occurs, and how the original population understands this population flow, with habits and customs so different. The research was conducted out from these visits and contacts with the local population, as well as searches on bibliographical and iconographic material about the migratory process in Dubai. The results showed that Palm Jumeirah Island was planned by the economic and political elite, while the local population was not consulted about their real interests and demands and did not participate in the decision-making process. In the same way, this situation generated a new social change in the locality and formed a new social category, which is not necessarily linked to economic issues but to cultural issues.

Após Cingapura, Vancouver e Xangai terem vivenciado um forte crescimento e desenvolvimento urbano, Dubai, também testemunhou um desenvolvimento urbano mais rápido. Desde o início de 2001, Dubai tem se esforçado para remodelar sua forma urbana e se juntar à lista das principais cidades globais. Seus megaprojetos, únicos, são uma força motriz no desenvolvimento econômico local. A alta renda derivada da venda de petróleo permite aos cidadãos alcançar altos níveis de renda e qualidade de vida. Políticas flexíveis de Dubai desempenham um grande papel para atrair vários fluxos migratórios. Cerca de 80-90% dos habitantes dos Emirados Árabes Unidos são estrangeiros, o que acarreta sérios desafios para a sustentabilidade política, econômica, social e cultural do País. O objetivo deste trabalho é estudar os efeitos sociais que aparecem por causa desses megaprojetos imobiliários, tendo a Ilha Palm Jumeirah como exemplo. Um estudo de campo foi necessário, devido à falta de pesquisas similares anteriores. Visitar e observar a ilha, diariamente, permitiu uma análise mais apurada da situação que acomete os moradores locais, levando-nos a buscar entender como este processo migratório interfere na sociedade local. Avaliar como se dá a integração população local- imigrantes, e como a população original entende esta fluxo populacional, com hábitos e costumes tão diferentes. A pesquisa foi realizada a partir dessas visitas e contatos com a população local, além de buscas em material bibliográfico e iconográfico sobre o processo migratório em Dubai. Os resultados mostraram que a Ilha Palm Jumeirah, foi planejada pela elite econômica e política, enquanto a população local, não foi consultada sobre seus reais interesses e demandas e não participou do processo de tomada de decisões. Da mesma forma, esta situação gerou uma nova mudança social na localidade e formaram uma nova categoria social, que não necessariamente está ligada a questões econômicas e sim a questões culturais.