By means of a critical review about the tall building, following the discussion about urban insertion, it is appropriate to analyse the building according to its internal environmental quality. Such study should include considerations about economic efficiency, energy consumption, environmental comfort and organisation of the internal spaces. Therefore, the tall building is tested against the principles and demands of a new agenda which brings value and compromise with the search for a higher operational efficiency and less environmental impact.

However, the limitations of the architecture of the tall building with concerns to the global objectives of sustainability are many. Nevertheless, design proposals and buildings in Europe, Asia and even in the USA have been announcing in the last decades, initiatives of projects more sensitive to the environment and to their users, counting on the combination of creative architectural solutions and advanced building’s and technologies.

Taking the world scenario, the biggest concentration of tall building’s proposals claimed to be towards a more environmental approach appear to be located in European cities. Among these centres, the city of London is in evidence lately. Through a qualitative analyses, this paper shows an evaluation of the compromise taken a design proposal with respects to issues of environmental and urban impact, including energy consumption. Having said that, the work investigates which are the environmental aspects that have being considered and which are the technical solutions suggested and applied, that is to say, how these topics have been influencing the recent design of tall buildings. To do that, the new headquarters of the Swiss Re Company in London was taken as case study.

Sob a perspectiva de uma visão crítica do edifício alto, na seqüência da discussão a respeito das questões de inserção urbana, cabe a análise do edifício quanto à qualidade e ao desempenho do espaço interno. Incluindo considerações sobre eficiência econômica, consumo de energia, conforto ambiental, organização e articulação dos espaços internos. O edifício alto é então confrontado com os ideais e as exigências de uma agenda de projeto que agrega valor e comprometimento com a busca de maior eficiência de operação e menor impacto ambiental.

Entretanto, são muitas as limitações da arquitetura da verticalidade com relação aos objetivos globais de sustentabilidade ambiental. No entanto, propostas e obras na Europa, Ásia e mesmo nos Estados Unidos vêm demonstrando, nas últimas décadas, iniciativas de projeto mais sensíveis ao meio ambiente a ao usuário, contando com a combinação de criatividade arquitetônica e tecnologias avançadas de construção e operação de edifícios.

Tomando como base o panorama mundial atual, são nos centros urbanos da Europa, onde estão o maior número de propostas de edifícios altos de menor impacto ambiental. Dentre tais centros urbanos, destaca-se a cidade de Londres. Por meio de uma análise qualitativa, esse trabalho apresenta uma avaliação do comprometimento de uma proposta de edifício alto com as questões de impacto ambiental, incluindo consumo de energia, conforto e impacto no ambiente urbano. Desta forma, são investigadas quais as questões de ordem ambiental que vêm sendo consideradas, e quais soluções técnicas e de projeto têm sido propostas, ou seja, como tais questões têm afetado o projeto de edifícios altos. Para isso, tomou-se como estudo de caso o edifício alto que é a nova sede da empresa Swiss Re, na cidade de Londres.