This article discusses the urban sprawl, new subdivisions and densification constructive in Marau a municipality in north-central state of Rio Grande do Sul This fact due to its significant industrial economic activity, responsible for about 200 companies and 6,500 jobs, gives the town an important place in the ranking GDP (Gross Domestic Product) and GDP per state. In the period 1996 to 2003, the municipal population grew from 25,348 inhabitants to 30,193, a increase of 19.11%, and in relation to urban population growth, the increase was 45% in the same period. The study examines the process of urbanization of the municipality from socioeconomic data, projects and new buildings and urban developments. As a result, it appears that the new developments are composing the urban fabric, creating new paths, fulfilling its peripherals limits and wastelands. Developed under the law of soil division, they are directed to low and middle income, including social housing. Thus, there is intense development in real estate, unusual in small towns, with significant increases in the value of the urban lots, advertising and striking trend of continuity due to the persistence of the attractiveness of investments in the industry.

Este artigo aborda a expansão urbana, os novos loteamentos e a densificação construtiva de Marau, município localizado no centro-norte do estado do Rio Grande do Sul. Este fato decorrente de sua expressiva atividade econômica industrial, responsável por cerca de 200 empresas e 6.500 empregos, confere ao município de Marau uma colocação importante no ranking do PIB (Produto Interno Bruto) e no PIB per no estado. No período de 1996 a 2003, a população municipal cresceu de 25.348 habitantes para 30.193, num acréscimo de 19,11%, sendo que em relação ao crescimento da população urbana, o acréscimo foi de 45% no mesmo período. O estudo analisa o processo de urbanização do município a partir de dados socioeconômicos, dos projetos urbanos e da análise de novos edifícios e loteamentos municipais. Como resultado, verifica-se que os loteamentos estão compondo a malha urbana, gerando novos traçados, preenchendo limites periféricos e vazios urbanos. Desenvolvidos sob legislação de parcelamento do solo, são voltados para a baixa e média renda, inclusive de interesse social. Desta forma, observa-se um intenso desenvolvimento no setor imobiliário, incomum em cidades de pequeno porte, com acréscimo significativo no valor dos lotes urbanos, publicidade marcante e tendência de continuidade em virtude da persistência do atrativo de investimentos no setor industrial.