A singular county since is also an archipelago receives a strong economic boost with the discovery of oil and gas in its oceanic coast. In addition, it is recognized by the IDB (inter-American Development Bank) as a territory (political and environmental unit) to be an example of progress in planetary scale. Starts a process of infrastructure and training of people following examples of other municipalities that have gone through similar times in Brazil and in the world. There are, however, in this context, many uncertainties to administer. Difficulties that come from, among other aspects, of the instability of the legal distribution of royalties, intergovernmental tax sharing and electoral processes. The prospect that the natural resources that generate instant wealth are finite, encourages public and private managers, universities and social organizations, integrated in an agency of development, study, desperately, alternatives of tributary sustainability or see implode everything that was structured until now. Are high value-added tourism and the real estate potential paths to go beforehand. Something that requires a lot of records and a great Covenant translated into “PDDU” (Urban Development Master Plan), an innovative governance, in the adoption of instruments to fight informality and cannibalism (price war) with the adoption of competitive differentials and applied intelligence.

Um município singular posto que é, também, um arquipélago, recebe um forte impulso econômico com a descoberta de gás e petróleo na sua costa oceânica. Além disso, é reconhecido pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) como um território (unidade política e ambiental) voltada a ser exemplo de progresso em escala planetária. Tem início, então, um processo de infraestruturação e capacitação de pessoas seguindo exemplos de outras municipalidades que passaram por momentos semelhantes no Brasil e no mundo. Há, todavia, nesse contexto, muitas incertezas a administrar. Dificuldades que são oriundas, entre outras vertentes, da instabilidade dos marcos legais de distribuição dos royalties, da partilha do ICMS e dos processos eleitorais. A perspectiva de que os recursos naturais que geram a riqueza momentânea são finitos, instiga os gestores públicos e privados, a academia e organizações sociais, integrados numa agência de desenvolvimento, a estudar, desesperadamente, alternativas de sustentabilidade tributária. Isto, sob pena de ver implodir tudo que foi estruturado até agora. São o turismo de alto valor agregado e a exploração do potencial imobiliário os caminhos a percorrer preventivamente. Algo que exige muita anterioridade e um grande pacto traduzido no PDDU (Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano), numa governança inovadora, na adoção de instrumentos de combate à informalidade e ao canibalismo empresarial (guerra de preços), com a adoção generosa de diferenciais competitivos e inteligência aplicada.