Today, the helicopter is being a good alternative to the transit in the city of São Paulo. In all the capital, exists today about 420 registered aircraft, 310 private aerodrome for particular use and a great heliport in Guarulhos. The constant increase of the number of aircraft, also, propitiated the creation, in 2004, the Air Traffic Control Service for Helicopters, for the SRPV (Regional Service of Protection to the Flight of São Paulo). Also, the number of buildings with private aerodrome comes presenting strong growth, in special, near Congonhas, where the concentration of commercial real estate enterprises has brought a crescent operational risk. To minimize the problem, the Command of Aeronautic delimited an area located in the final approach of Congonhas, the RWY 17, establishied no favorable permission for construction of new Heliports in buildings and others restrictions. The area enclose the avenues Faria Lima and Juscelino Kubitschek and Funchal Street, with a real estate and construct possibilities damage. The objective of this work is to analyze the consequences on the constructive potential of real estate enterprises located there. For the analyses studies will be consulted the effective regulations of the authorization processes of construction / modification of physical operational characteristics and register of private aerodrome and the consequences in the areas under restrictions, in regards to the real estate potential. It is intended with this work, to contribute with the knowledge in the real estate sector in this region.

Há anos, o helicóptero vem sendo procurado como uma alternativa para contornar a problemática do trânsito na cidade de São Paulo. Em toda a capital, existem hoje cerca de 420 aeronaves registradas, 310 helipontos e um grande heliporto em Guarulhos O aumento constante do número de aeronaves, fez com fosse criado, em 2004, o Serviço de Controle de Tráfego Aéreo para helicópteros, pelo SRPV-SP (Serviço Regional de Proteção ao Vôo de São Paulo), órgão ligado à aeronáutica. Por outro lado, ocorreu um grande crescimento do número de edifícios com helipontos, em especial, na região da rampa de aterrissagem de Congonhas, onde a concentração de empreendimentos imobiliários comerciais de alto padrão tem trazido um risco operacional cada vez maior. Com o intuito de minimizar o problema, o comando da aeronáutica delimitou uma área localizada na aproximação final da cabeceira 17, RWY 17, de Congonhas, que estabeleceu restrições para construção de helipontos novos na região. A área abrangida corresponde, mais especificamente, aos arredores das avenidas Faria Lima, Juscelino Kubitschek e Rua Funchal, com um inegável prejuízo construtivo e imobiliário. O objetivo deste trabalho é analisar as conseqüências desta diretriz, sobre o potencial construtivo de empreendimentos imobiliários aí localizados. Para a realização das análises serão efetuados estudos sobre as regulamentações vigentes dos processos de autorização de construção ou modificação de características físicas e/ou operacionais e de registro de aeródromo privado e as conseqüências que sofrem as áreas sujeitas às restrições previstas, no tocante ao potencial imobiliário. Pretende-se com este trabalho, contribuir ao conhecimento em real state para esta região, no que se refere às questões abordadas.