Construction sector is inflexible, competitive and demands high capital power; therefore, it’s tied to risks. It becomes evident the relevance of a building’s planning phase, when it is ideal to explore the mostfactors that can incline the quality of the investments.
Planning phase is composed by a quality analysis vector (product features) and by an investment quality vector – IQA (funding equation and investment results). A building operation behavior usually presents an inversely proportional relation, the better results for the quality analysis, the less liquidity risk. In opposition, the better results for the IQA, liquidity risk gets higher. An intended building design should consider a balance between those two analysis. In this paper, we present a methodology to turn residentialbuilding’s competitiveness into quality grades. We engaged to frame an event able to stablish a formalhierarchy among buildings by assigning grades to their features. This methodology will point out how architecture quality choices can impact on the whole building quality.

The methodology to turn quality features into numbers (grades) includes identifying the valuable features(buyer’s aspirations) to the buildings. Those features will be classified according to their grades and to their inferred value, so the intended product with certain features improves its liquidity. To each building,a grade will be attached; this grade is the total amount of a building’s quality features, therefore, whencomparing local competitive building’s grades, it results on each building’s market insertion capacity. From the existing building’s grades, it’s possible to introduce a quality target to an intended productassociated to the IQA. This combination analysis should result a smaller risk to execute the building.

This paper is part of a research of a thesis in course on a Post-Graduation Program in Civil Engineering from USP Polytechnic School.

O setor da construção civil caracteriza-se como rígido, competitivo e com elevada demanda de capital; atrelado, assim, a riscos. Evidencia-se, portanto, a relevância da etapa de planejamento do empreendimento, na qual é ideal explorar o maior conjunto de fatores que influenciam a qualidade dos investimentos.

A etapa de planejamento é composta por um vetor de análise qualitativa dos atributos do produto e outro correspondente à análise da qualidade do investimento – AQI (equação de fundos e resultado dos investimentos). O comportamento dos empreendimentos, em geral, apresenta relação inversamente proporcional; quanto melhor o resultado da análise qualitativa, menor o risco de liquidez; em contrapartida, quanto melhor o resultado da AQI, maior o risco. A configuração do empreendimento pretendido deve refletir um equilíbrio entre as duas análises. Neste artigo, apresentamos metodologia para traduzir a competitividade de empreendimentos residenciais em notas de qualidade. Procuramos criar a oportunidade de se estabelecer uma hierarquia formal entre empreendimentos, conferindo notas aos atributos embarcados. A aplicação ilustrará como a qualidade de formatação arquitetônica impacta na qualidade do empreendimento.

A metodologia de traduzir atributos qualitativos em números (notas) compreenderá o levantamento dos atributos que conferem valor (anseios do comprador) aos empreendimentos. Tais atributos serão hierarquizados por meio de notas conforme a importância verificada para melhorar a liquidez de cada produto. A cada empreendimento será atribuída nota correspondente ao valor total de seus atributos qualitativos; assim, quando comparadas às notas dos empreendimentos competitivos do entorno, indica-se a capacidade de penetração de cada empreendimento.

A partir da caracterização de empreendimentos existentes, é possível impor meta de qualidade para um empreendimento pretendido atrelada à AQI. Essa combinação deverá conferir um menor grau de risco ao empreendimento planejado.
Este artigo integra pesquisa mais abrangente que constitui dissertação de mestrado em andamento no programa de Pós-Graduação de Engenharia Civil da Escola Politécnica da USP.