The objective of this work is to demonstrate the situation economical and financial experienced by the main participants in the Brazilian real state market and to make an analysis of how the present day became possible opportunities and threats to its sustainability. Through to the analysis of public documents disclosed for major quoted companies of real state segment it gets the base of the objective of this work. At the same times the Brazilian federal government announces a program of building houses directed primarily at the lower social classes, the main building need to revise their strategies, because this class was not the focus of activity since now. To enable this service, these companies will have the difficult target of reviewing its costs in order to tailor them to the final price of the product. Certainly we have here that impacts directly reflected in their operating margins. Another important difficulty shown is the tightness of cash after the third quarter of 2008, the start of the main purposes of the international financial crisis in the segment, which should provide reflection on levels of leverage, principally through costly resources received in the marketplace, which should increase their operational risks. Finally, this study to delineate the framework of how the sector should live in this scenario probably hostile, that the difficulties of case, the increased of indebtedness conclude the revision of operating margins may cause a reduction in the capacity of self funding, compromising its sustainability future compared to current form.

O objetivo deste trabalho é demonstrar a conjuntura econômica e financeira vivenciada pelos principais participantes do mercado imobiliário brasileiro e efetuar uma análise de como o momento possibilita oportunidades e ameaças à sua sustentabilidade. Por meio da análise de documentos disponibilizados publicamente pelas principais empresas de capital aberto do segmento procuramos obter dados para embasar este estudo quanto aos seus objetivos. No instante em que o governo federal brasileiro divulga um ousado programa habitacional, direcionado principalmente às menores classes sociais, as principais construtoras/incorporadoras terão de rever suas estratégias, pois este público não demonstrava ser, até pouco tempo, seu principal foco de atuação. Para possibilitar este atendimento, essas empresas terão a difícil meta de rever seus custos, de forma a adequá-los ao preço final do produto. Certamente teremos neste ponto impactos que refletirão diretamente em suas margens operacionais. Outro dificultador importante demonstrado é o aperto de caixa após o terceiro trimestre de 2008, início dos principais efeitos da crise financeira internacional no segmento, o que deverá proporcionar reflexo nos níveis de alavancagem, principalmente por meio de recursos onerosos captados junto ao mercado, podendo elevar seus riscos operacionais. Por fim, este estudo ao traçar este quadro, de como o setor deverá conviver neste cenário provavelmente hostil, conclui que as dificuldades de caixa, o aumento do endividamento oneroso e a revisão das margens operacionais poderão causar a redução da capacidade de autofinanciamento do segmento, comprometendo sua sustentabilidade futura quando comparado aos moldes atuais.